segunda-feira, 22 de março de 2010

Dia Internacional da Mulher

O que se comemora nesse dia? Ta, eu sei que essa data já passou, mas percebi que quase ninguém sabia o porquê dessa data e acabava fazendo alusão a uma comemoração errônea. Isso acaba ocorrendo com muitas datas comemorativas, no qual o verdadeiro sentindo acaba se perdendo e com ele a força da Ação.
Clara Zetkinapresentada na Conferência Internacional das Mulheres Socialistas, realizada em Copenhague, em 1910, sugeriu q o dia 8 de março fosse “O Dia Internacional da Mulher”. Esse dia foi criado para lembrar as diversas mulheres, vindas de diferentes países, e principalmente mulheres judias que trabalhavam na fábrica de algodão de Massachusetts, Alabama, e nas indústrias têxteis de Nova York, que saíram às ruas descalças e vestindo suas roupas esfarrapadas, dando o grito inicial na luta por direitos iguais. Essa manifestação foi um protesto a pressão e exploração de um trabalho desumano de mais de 16 horas diárias, em troca de metade do salário pago aos homens. Ao reunirem-se na fábrica, após a passeata, os patrões, em represália, atearam fogo em todo o local, matando 139 mulheres. Foi somente no ano de 1975, na 1ª Conferência Internacional da Mulher no México, que a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

A discriminação contra a mulher não ocorre apenas no âmbito econômico, mas também no político, social, cultural e civil, entre outros.

As primeiras normas de Direito do Trabalho, bem como as iniciativas tendentes à sua universalização, visaram exatamente limitar a jornada de trabalho das mulheres e proibir o trabalho noturno aos menores. O art. 23 do Pacto da Sociedade das Nações, que se firmou após a primeira grande guerra com o compromisso de uma paz universal. A base desse pacto era a justiça social, na qual determinava que os membros das Sociedades das Nações se esforçariam para assegurar condições de trabalho eqüitativas e humanitárias para o homem, a mulher e a criança em seus próprios territórios e nos países aos quais estendessem suas relações de comércio e indústria.

Atualmente, o desafio é converter a igualdade meramente formal, proclamada no art. 5º, I, da nossa Constituição Federal, em igualdade material, real e substantiva.

O respeito aos direitos das mulheres está em exigir uma mudança de mentalidade e valores da sociedade. Afinal, pelo menos nos últimos 3 mil anos, a civilização ocidental baseou-se em sistemas filosóficos, sociais e políticos em que os homens, seja pela força, pressão direta ou através da tradição, do ritual, lei e linguagem, costumes, etiqueta, educação e divisão do trabalho, determinaram que papel as mulheres devem ou não desempenhar.

Uma das transformações mais profundas na sociedade que estamos vivenciando é, sem dúvida, o declínio do patriarcado, provocado, em grande parte, pela inserção da mulher no mercado de trabalho.

Assim, surgimento do Dia Internacional da Mulher está relacionado com a luta pela efetivação do Direito Universal à igualdade entre homens e mulheres, em direitos e obrigações, notadamente no campo profissional e não com a maternidade e delicadeza da mulher.
No dia Internacional da mulher, dia 8 de março devemos reanimar a força do solidarismo feminino, da garra e luta da mulher, devendo regozijar-se de seu valor e de sua condição, sem receios de discriminações, uma vez que estão escrevendo novas páginas na construção da vida e da sociedade contemporânea.

2 comentários:

Rondinelli Fortalesa disse...

Penso que a conquista é válida, mas foi um preço alto demais e hoje em dias as mulheres estão se desvalorizando demais e se continuar assim vão acabar perdendo espaço.

Fernando disse...

Nada mais justo e essencial do que o próprio olhar femino pra evidenciar suas lutas suas barreiras e preconceitos enfretadas por voces, corajosas criativas e sempre determindas .. e muitas vezes tratadas como sexo frágil,na essencia da palavra...