segunda-feira, 16 de junho de 2008

DEPRESSÃO


Sinto me exausta,
Cansada de tentar,
Sem força pra seguir.

Os dias passam
E servem pra me certificarem
Do fracasso, do esforço inglório
Da vida sem sentido,
Do sentido contrário que caminho.

Sinto me exausta,
Cansada de lutar,
Sem força pra continuar.

Os dias passam
E servem pra me mostrar
Que me afogo nas ilusões
E mesmo frente às decepções
Insisto no caminho

Sinto me exausta
Cansada de respirar
Sem força pra mudar

Os dias passam
E servem pra me forçar
A reconhecer a mediocridade,
A insignificância do meu ser,
O exemplo a não ser seguido

E num último suspiro
O que deixo inscrito
É que sigam o inverso
Do que por mim foi dito.
E percorram outro caminho
Que por mim não foi seguido.

Que em minha homenagem
Eu seja o exemplo
Daquilo que não deve ser seguido
Dando utilidade a um ser
Que teve oportunidade e
Que não soube SER

Sinto me exausta
Cansada, sem força,
Nada mais quero
Nem coisa, nem ninguém
Apenas me aquietar
Fechar os olhos
E aguardar tudo silenciar...

Um comentário:

Fernando disse...

Nossa! Esse poema foi a transcrição de uma pessoa que sempre comento com você. ELA se encaixa perfeitamente, até vejo ELA falando isso pra mim. Demais...