terça-feira, 13 de outubro de 2009

Outros fatores que nos fazem engordar


Que a obesidade obesidade virou uma epidemia mundial todos já sabem, mas o que a provoca ainda é algo, de certa forma, misterioso e complexo. Às vezes a frase “Não como muito mais engordo!” pode não ser só uma desculpa ou um engano. Mas também não acredito que maioria chegue à obesidade mórbida apenas com um distúrbio metabólico, mesmo sabendo que ele existe e contribui para o aumento de peso. Na verdade, acredito num conjunto de fatores que atuam concomitantemente. A obesidade há 30 anos vem crescendo e o sedentarismo e o maior consumo do açúcar explicam em parte esse fato, mas além do excesso de comida e da falta de exercício físico há circunstâncias que favorecem o acúmulo de gordura, dificultam a quebra e queima da gordura e estimulam o apetite.
Dificuldade em lidar com algumas emoções, traumas e perdas são alguns dos fatores psicológicos que podem nos levar a um estado de “anestesia, inconsciência dos nossos atos”, contribuindo para que comamos sem nos darmos conta resultando no aumento de peso. Além desse estado de “anestesia”, o estresse causado por questões emocionais ou pressão do dia-a-dia é um dos principais agentes ao acúmulo de gordura, especialmente na região abdominal.
O estresse alto, acima de normal, aciona uma liberação excessiva de cortisol, hormônio que estimula o apetite e aumenta o acumulo das células de gordura.
Outro fator cada vez mais comum no dia-a-dia maluco e frenético no qual vivemos é o sono ruim. Há algumas secreções de hormônios que estão relacionadas com o sono. Um sono ruim ou privação do mesmo interferem no funcionamento da leptina (saciedade e gasto calórico), grelina (aumenta o apetite) e insulina (queima de gordura), contribuindo para o aumento do índice de massa corporal.
Alguns antidepressivos e antipsicóticos podem estimular o apetite e a compulsão por doces levando também ao aumento de peso.
Alguns estudos sugerem que o cálcio é importante no processo de quebra de gordura e sua falta no organismo tem sido relacionada ao acúmulo de gordura corporal.
Agora até o ar condicionada dos escritórios pode ser considerado um vilão e contribuir para o aumento de peso. O simples fato de manter a temperatura estável o ano todo não permitindo que as pessoas sintam frio durante o inverno, inibe a aceleração do metabolismo causada pelo frio. E evitando o calor do verão, época que se come menos devido o calor, favorece ao consumo maior que o gasto. Outro fato relacionado a velocidade do metabolismo é o fumo. Sem querer fazer apologia ao cigarro, mesmo porque os malefícios superam esse fato, o tabaco acelera o metabolismo. Quem deixa de fumar reduz o gasto calórico em aproximadamente 5% devendo ou diminuir a ingesta alimentar ou aumentar o gasto energético com maior atividade física, por exemplo.
Ainda, bebês nascidos com peso fora do padrão. Tanto abaixo ou acima do recomendado tem sido apontado como fator de ato peso na vida adulta.
Tomar consciência desses outros fatores nos ajuda a planejar e estruturar melhor a perda de peso obtendo o resultado desejado.

Para saber mais sobre obesidade: http://www.abcdaobesidade.com.br

2 comentários:

eunasciha10milanosatras disse...

Bia, vc como sempre SURPREENDENTE nas coisas que vc posta no seu blog... vou recomendar pra muita gente. Nem sempre comento (acho que nunca comentei), mas tô sempre xeretando. Obrigada! Beijos!

Denise disse...

Excelente post.
Bia, já foi confirmado que obesidade devido disturbio metabólico, representa uma % baixissima em relação a alta taxa de obesidade.
Vale lembrar tb como uma dica importante que comer pouco e poucas vezes ao dia, contribui muito para o aumento de peso, uma vez que o corpo passa a "guardar" energia em forma de gordura, já que ele não sabe a que horas receberá nutrientes outras vez.
Há estudos e até drogas sendo estudadas para p controle da leptina, uma vez que ela é responsável pela sensação de saciedade.
Por fim, vamos nos conscientizar que evitar aumento de peso, evita-se diversas doenças associadas à obesidade.
Bjos. Dê.